Eva, a App de Canábis Medicinal lançada no Reino Unido, chegará em breve a Portugal

Eva, a App de Canábis Medicinal lançada no Reino Unido, chegará em breve a Portugal

Eva, a App de Canábis Medicinal lançada no Reino Unido, chegará em breve a Portugal.

A 27 de outubro foi lançada, no Reino Unido, uma nova Plataforma – Eva. Trata-se de uma aplicação (app) para ajudar os doentes que utilizam canábis medicinal, permitindo ao utilizador registar os seus sintomas e dados essenciais sobre a sua segurança e eficácia.

O OPCM em parceria com a Alta Flora iniciaram o processo de implementação da app Eva em Portugal. Assim, os doentes e utilizadores de medicamentos, preparações e substâncias à base da planta canábis, poderão usufruir gratuitamente desta aplicação em seu benefício, em breve também em Portugal.

Objetivo e funcionalidades da app EVA

A app foi desenvolvida pela empresa de terapêutica digital, Alta Flora, e permite ao doente registar sintomas, a sua utilização de canábis medicinal e a sua qualidade de vida, com um simples clique no seu telemóvel.

Inclui recursos para os doentes adicionarem e rastrearem a gravidade dos sintomas – com funcionalidade para vários sintomas e vias de administração de canábis medicinal, como dosagem e formulação.

Também permite que os utilizadores explorem, através de ferramentas interativas, e avaliem sua qualidade de vida, usando escalas e questionários validados, com uma estrutura clinicamente válida e usada pelo NICE (National Institute for Care and Excellence).

A Alta Flora encontrou uma série de desafios enfrentados pelos doentes que usam a canábis medicinal como um tratamento, incluindo a falta de dados de produtos, estigmatização dentro do sistema de saúde e falta de acesso a prescrições.

A visão de Gavin Sathianathan, fundador da Alta Flora

De acordo com o CEO e fundador da Alta Flora, Gavin Sathianathan: “Já se passaram dois anos desde que a canábis se tornou legal, para fins medicinais, no Reino Unido e, desde então, o acesso a esses medicamentos para os doentes quase não melhorou. Esta falha reside em grande parte na falta de dados, cuja ausência priva os médicos de a prescreverem como um tratamento em segurança.”

Gavin referiu que os doentes que registaram os seus sintomas e forma de utilização conseguiram mais claramente falar com os seus médicos sobre a possibilidade de um tratamento com canábis medicinal. Os doentes, que reportaram os dados aos seus médicos acompanhantes, verificaram um maior envolvimento, entendimento e desmistificação por parte da classe médica. Gavin afirma que: “O futuro da saúde estará centrado no doente. A voz do doente está a tornar-se cada vez mais importante.”

De acordo com Gavin, a base de evidências produzida pela App Eva mostrará as necessidades dos doentes e da indústria e pode desempenhar um papel fundamental e necessário para a segurança e eficácia dos produtos, garantindo uma aceitação mais ampla da canábis medicinal. Refere ainda que: “Temos alguns doentes realmente motivados que, muitas vezes, depois de experimentar muitos medicamentos diferentes, descobriram que a canábis funciona e querem contribuir com dados para melhorar o acesso dos doentes no Reino Unido.

Gavin também espera que a App possa ser usada para monitorizar a eficácia dos produtos de CBD na dor, ansiedade e sono. Mas o potencial da Eva vai para além da canábis – particularmente em uma era pós-pandemia. Num contexto pós-Covid pensa-se muito mais sobre medicina preventiva e em como ficar bem.

Alta Flora e o trabalho desenvolvido em Portugal

Aidan Lethem, gerente de Alta Flora Portugal, refere que a “aplicação Eva está também a ser projetada para ser implementada em Portugal, sendo este o primeiro país fora do Reino Unido, e estamos a trabalhar em estreita colaboração com a OPCM para adaptar a aplicação aos doentes portugueses.”

Aidan esclarece que o trabalho de investigação ao longo dos últimos dois anos, assim como a comunicação com pacientes do mundo inteiro, comprovaram a teoria de que a atitude mais revolucionária nos cuidados de saúde continua a ser “ouvir o paciente”. “Temos por missão dar aos pacientes uma ferramenta através da qual as suas vozes sejam amplificadas. O nosso objetivo é oferecer aos doentes a possibilidade de assumirem o controlo dos seus cuidados de saúde, graças ao acesso a informações importantes.”

“Compreendemos que não seja ético os pacientes não terem direito ao acesso, num país onde tanto se espera da indústria da canábis medicinal. Esperamos que, a partir dos tratamentos específicos e eficazes feitos com a canábis possamos, juntamente com a OPCM e a comunidade, construir provas que permitam aos pacientes um maior acesso aos medicamentos.” disse Aidan Lethem.

Alta Flora, a empresa

Foi fundada em 2018, a Alta Flora é uma empresa de tecnologia de saúde, sediada tanto em Londres (sede original) como em Lisboa, focada na criação de soluções para necessidades de saúde em falta e populações outrora carentes (incluindo mulheres e minorias étnicas). Para mais informações sobre a empresa Alta Flora e a aplicação Eva, por favor visite o nosso website e blogue em: http://alta-flora.com/en/

__________________________________________________________________________________

Fonte: CannabisHealth

Jornalista: Sarah Sinclair

Artigo Original: https://cannabishealthnews.co.uk/2020/10/28/how-europes-first-medical-cannabis-tracking-app-could-revolutionise-care/