Sobre Nós

A Associação adota o nome de OPCM – OBSERVATÓRIO PORTUGUÊS DE CANÁBIS MEDICINAL – ASSOCIAÇÃO podendo, de forma abreviada, ser designada por “OPCM” ou por “Associação”.

O OPCM é uma associação sem fins lucrativos, de caráter predominantemente científico e de duração ilimitada, constituída e regida em conformidade com a lei portuguesa e que exerce a sua atividade em todo o território nacional ou no estrangeiro.

A Associação tem por fim a promoção e divulgação da investigação científica sobre a planta Cannabis Sativa L., (planta de canábis), bem como informar sobre a sua utilização para fins medicinais. A atividade do OPCM é exclusivamente direcionada para o estudo e para a divulgação da utilização da planta de canábis para fins medicinais.

O OPCM exercerá as suas atividades sem subordinação a qualquer ideologia política, religiosa ou partidária.

A nossa missão

O OPCM foi constituído a 22 de abril de 2019 por um grupo multidisciplinar, que se juntou com a missão primordial de fazer chegar o conhecimento das propriedades e usos terapêuticos da planta canábis Sativa L. aos principais intervenientes, que vão desde os profissionais de saúde de todas as áreas, até aos pacientes passando pelas industrias, instituições, entidades reguladoras e de exportação, juristas, entre outros.

Assim, tendo em vista a promoção, coordenação e realização de atividades que vão ao encontro destes objetivos pretende-se iniciar um plano estratégico junto das entidades competentes e envolvidas, para que os pacientes possam ter o acompanhamento que lhes é devido.

O OPCM também visa informar as instituições, os meios de comunicação e a sociedade civil sobre o conhecimento atualizado dos fins terapêuticos da planta canábis, com base nos resultados de estudos científicos e ensaios clínicos disponíveis, bem como promover e incentivar a realização de novos ensaios clínicos e também contribuir para a procura de evidências.

O OPCM tem na sua base um conselho consultivo constituído por investigadores, médicos, biólogos, pesquisadores, psicólogos, juristas que estão amplamente disponíveis para contribuir como o seu conhecimento científico em prol da consecução dos nossos objetivos.

O OPCM é uma associação sem fins lucrativos que é subsidiada através de cotas dos associados e donativos que permitem a realização de muitas das nossas atividades. Todos os órgãos sociais e membros do conselho consultivo são voluntários nesta causa que os une!

Objetivos

A Associação desenvolverá todas as atividades que julgue necessárias ou convenientes à prossecução dos seus objetivos, sempre no estrito respeito pela legislação em vigor, nomeadamente:

  • Informar, coordenar, promover e incentivar atividades e projetos para o conhecimento das propriedades e dos fins medicinais da planta de canábis e seus derivados em benefício dos pacientes;
  • Criar um registo de utilizadores de medicamentos, preparações e substâncias à base da planta de canábis para fins medicinais (pacientes) em Portugal, assegurando o cumprimento de todas as normas nacionais e europeias aplicáveis relativamente a privacidade e proteção de dados pessoais;
  • Divulgar estudos científicos e ensaios clínicos;
  • Estabelecer protocolos de colaboração com entidades científicas, técnicas, profissionais, universitárias, empresariais ou governamentais, nacionais ou estrangeiras, no âmbito da sua atividade;
  • Informar, apoiar e orientar, a todos os níveis, no contexto do seu objeto, os pacientes e utilizadores de medicamentos, preparações e substâncias à base de canábis para fins medicinais, respeitando o Direito à Saúde consagrado no artigo 64.º da Constituição da República Portuguesa;
  • Defender a comparticipação estatal dos medicamentos, preparações e substâncias à base da planta de canábis para fins medicinais;
  • Incentivar a informação, formação, aconselhamento e acompanhamento dos pacientes sobre as possibilidades medicinais da canábis;
  • Promover a formação de profissionais de saúde e o conhecimento e compreensão públicos relativamente às possibilidades medicinais da planta da canábis, através de campanhas de divulgação, formações e ações educativas ou de sensibilização;
  • Permitir a integração social dos pacientes visando a sua dignificação e a salvaguarda dos seus interesses e direitos, bem como o apoio a cuidadores ou familiares;
  • Informar os pacientes e cidadãos interessados relativamente à admissibilidade de utilização de canábis para fins medicinais;
  • Promover eventos para exposição e discussão da atividade científica relacionada com a canábis para fins terapêuticos, como reuniões, conferências, colóquios, seminários ou congressos;
  • Assumir um papel ativo na prevenção de riscos e redução de danos, atuando ainda na defesa dos interesses dos pacientes em todas as questões relativas à utilização de medicamentos, preparações e substâncias à base da planta de canábis para fins medicinais;
  • Observar as iniciativas governamentais nacionais e internacionais e garantir que os direitos dos utilizadores de medicamentos, preparações e substâncias à base da planta da canábis para fins medicinais são acautelados, intervindo junto das entidades competentes se necessário.

Estatutos do OPCM: Download PDF

Órgãos Sociais

A Direção

Carla Dias

Carla Dias

Docente

Licenciatura em Línguas e Literaturas Modernas em Estudos Ingleses e Alemães pela FLUC

Presidente do OPCM

e-mail: carla.dias@opcm.pt

Maria Rezende1

Maria João Rezende

Enfermeira

Licenciatura em Enfermagem e obstetrícia pelo Piaget

Vice-Presidente do OPCM

Cristina Graça

Cristina Graça

Fisioterapeuta

Licenciatura em Fisioterapia 

Pós-Graduação e Mestrado em Fisioterapia em Pediatria 

Secretária da Direção do OPCM

A Assembleia Geral

Isabel Maia

Enfermeira

Licenciatura em Enfermagem pela ESEBB e Pós-Graduação em Ciências de Enf. do ICBAS

Presidente da Assembleia Geral do OPCM

Bruno Maia

Bruno Maia

Médico especialista em Neurologia e Medicina Intensiva

Coordenador Hospitalar de Doação, Centro Hospitalar de Lisboa Central

Unidade Cerebrovascular | Laboratório de Neurossonologia

Secretário da Assembleia Geral do OPCM

 

Fernando Bandrés

Diretor de Operações

Licenciado em Turismo

Secretário da Assembleia Geral do OPCM

O Conselho Fiscal

Aida Francisco1

Aida Francisco

Técnica Oficial de Contas

Curso Comercial -Técnico e Profissional

Presidente do Conselho Fiscal do OPCM

Pedro Oliveira Leite

Pedro Oliveira Leite

Autor/Gestor

A frequentar curso Universitário

Vogal do Conselho Fiscal do OPCM

Rui Malato

Cozinheiro

Curso de Gestão e Produção de Cozinha, Nível V, pela Escola de Hotelaria e Turismo do Estoril

Vogal do Conselho Fiscal do OPCM

Conselho Consultivo Científico

Depois da legalização da canábis para fins medicinais, os problemas dos pacientes agravaram-se, porque o acesso se tornou ainda mais difícil. Como deverão saber, neste momento não há prescrição, nem produtos nas farmácias nem acompanhamento médico de pacientes a utilizar canábis em Portugal.
Estamos a ser procurados por centenas de pacientes e estamos a proceder ao levantamento dos utilizadores em Portugal, constituindo uma base de dados. Clique aqui

De acordo com o disposto na DELIBERAÇÃO N.º 10/CD/2019 o artigo 3 diz que deve haver colaboração com outras entidades. Desta forma a direção do INFARMED, I.P. responsável pela monitorização da segurança das preparações e substâncias à base da planta da canábis deve assegurar, em atividades relevantes para esta área, a interação com:

a) os profissionais de saúde e com os titulares de ACM destas preparações e substâncias, nomeadamente no que respeita a ações a desenvolver face a novos dados de segurança relativos a estes produtos;
b) outras agências reguladoras;
c) outras entidades públicas ou privadas, designadamente universidades.

Assim sendo o papel dos nossos médicos, outros profissionais de saúde entre outros é crucial, por isso estamos a contacta-los para que nos possam ajudar em todo este processo e assim fazer com que a canábis medicinal avance no nosso país.
O nosso Conselho Consultivo Científico vais sendo preenchido pelos interessados em ajudar colaborar com o OPCM, tais como profissionais das diversas áreas, entidades reguladoras e universidades tendo como objetivo ajudar os pacientes. Criámos assim diferentes Grupos de Apoio aos quais os interessados se podem juntar. A todos os interessados entrem em contacto connosco através de profissionaisdesaude@opcm.pt ou info@opcm.pt

Grupos de Apoio

Conselho Científico – Grupos de Apoio

– Médicos Nacionais:
• Inês Romão Luz – MD, Interna da Formação Específica em Pediatria, Hospital Pediátrico, Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra
• Artur Aguiar – Radioncologia. Especialista em Medicina da Dor. IPO-Porto / Unidade Estudo e Tratamento da Dor.
• Guilherme Figueiredo – Reumatologista – Açores
• Bruno Cruz Maia – Neurologista, Centro Hospitalar de Lisboa Central
• Miguel Araújo Abreu – MD MSc – Médico Infeciologista

– Médicos e Investigadores Internacionais:
• Janosch Kratz – Médico de Medicina Geral e Familiar em Berlim e na Kalapa Clinic em Espanha
• Ethan Russo – Neurologista, Farmacologista, MD, Investigador e Diretor do ICCI (International Cannabis and Cannabinoids Institute). EUA
• Cristina Sanchéz – PhD em Bioquímica e Biologia Molecular. Espanha
• Philippe Lucas – PhD (c) Investigador e Diretor Executivo do Canadian Medical Cannabis Council
• Javier Pedraza Valiente – Especialista em Medicina Familiar  Comunitária em Espanha e SNS Português / Consultor em tratamentos com canábis e seus derivados

-Enfermeiros:

• Isabel Maia
• Maria João Rezende
• Soraia Tomás – Hospital da Luz – Coimbra

– Farmacêuticos:
• José Teixeira – Farmacêutico – FACULDADE DE FARMÁCIA DA UNIVERSIDADE DO PORTO
• Rui Loureiro – Professor – FACULDADE DE FARMÁCIA DA UNIVERSIDADE DE LISBOA

– Terapeutas:
• Cristina Graça

– Psicólogos:
• Sónia Simões – Psicóloga
• Luís Oliveira – Neuropsicólogo e secretário da direção nacional da ADEB (Associação de Apoio aos Doentes Depressivos e Bipolares)

– Advogados:
• Liliana M Santos – Advogada
• João Gama – Advogado – Gama Glória
• Leonardo Marques dos Santos – Advogado – Gama Glória
• Inês Almendra – Advogada – Gama Glória

– Outros:
• Laura Ramos – Jornalista
• João Costa – Estudante de Engenharia Física

– Protocolos com Entidades:
– Laboratório Militar
– Faculdade de farmácia de Lisboa
– EXMceuticals
– In4Med

DELIBERAÇÃO N.º 10/CD/2019

Junte-se a nós

Pode fazer um donativo, ser associado ou fazer o seu Registo na nossa base de dados de utilizadores de Canábis para Fins Terapêuticos. Siga as ligações abaixo. 

Fazer donativo

Formulário – Torna-te associado

Formulário – Registo de utilizadores de canábis para fins terapêuticos

Copyright © 2019 Observatório Português de Canábis Medicinal  designed by João Batista ETPR

Fechar Menu